Julgamento do Caso Urso Branco venceu categoria relacionamento com a imprensa


Retrospectiva de Prêmios conquistados pelo TJRO em Comunicação e Justiça relembra vitória no Congresso realizado no RJ, em 2011

Porto Velho, RO - O julgamento do Caso Urso Branco foi premiado com o primeiro lugar na categoria Relacionamento com Mídia, entre trabalhos inscritos pelos órgãos que compõem o sistema de Justiça no país no Congresso Brasileiro de Comunicação e Justiça, realizado em junho de 2011, no Rio de Janeiro. Naquele ano foram três estatuetas, inaugurando uma série de vitórias da comunicação pública do Judiciário rondoniense. No ano de 2011, o Conbrascom recebeu 178 inscrições.

O projeto do TJRO foi escolhido como a melhor iniciativa realizada em 2010 no Brasil no relacionamento com a mídia, categoria que teve como finalistas o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios e o Conselho Nacional de Justiça.

O desafio era o de garantir total transparência no processo criminal que apurou as responsabilidades pelo massacre de 27 presos no presídio Urso Branco, em Porto Velho. Para isso, o Tribunal de Justiça de Rondônia mobilizou esforços para que todas as sessões de julgamento relativas ao caso tivessem transmissão ao vivo pela internet.

O ano era 2010, e, sob a coordenação do Juiz Sérgio William Domingues Teixeira, o TJRO iniciou um trabalho inovador de publicidade às sessões de julgamento, pois, além das imagens e sons do plenário veiculados numa página especial criada no site do Tribunal de Justiça, um manual foi elaborado e a equipe de assessores da Coordenadoria de Comunicação Social do TJRO manteve atendimento contínuo para sanar dúvidas e auxiliar os profissionais jornalistas de Rondônia e de outros estados na cobertura dos julgamentos.

Com respaldo e apoio institucional da Presidência do TJRO, por meio do desembargador Cássio Rodolfo Sbarzi Guedes, da Corregedoria-Geral da Justiça, que era comandada pelo desembargador Paulo Mori, e do juiz que presidia o processo na 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aldemir de Oliveira, o trabalho cumpriu os objetivos institucionais e obteve o reconhecimento externo, como um referendo ao esforço de servidores, servidoras e magistrados engajados no projeto.

Além disso, a cada momento do júri, a produção de textos jornalísticos distribuídos à imprensa e com tradução para inglês e espanhol, proporcionou amplo conhecimento sobre aqueles fatos, para os repórteres que participaram da cobertura e também para, por consequência, para todo o público.

A iniciativa estava em alinhamento com as determinações da Corte Interamericana de Direitos Humanos, que por conta das violações aos direitos humanos naquela unidade prisional, havia imposto sanções ao Estado Brasileiro, dentre elas, a realização do julgamento e publicidade ampla sobre a instrução e julgamento do processo.

Segundo a coordenadora de Comunicação Social do TJRO, Simone Norberto, o êxito da ação de relacionamento com a imprensa foi percebido já durante o trabalho, devido à aceitação e proveito da estrutura proporcionada aos profissionais. “Nosso objetivo primeiro foi o de levar a informação com clareza ao público e para isso era preciso munir os profissionais da imprensa com dados, números e esclarecimentos sobre os procedimentos da sessão do júri”, afirmou a analista judiciária do TJRO.


Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional 
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem