Mistério sobre jovem que teve barriga dilacerada em praia de Guarapari (ES) pode ser elucidado por vídeo

Imagens mostram casal chegando em local, após luau, e o momento em que vítima é resgatada em quadriciclos. Investigação apura se namorada, que o acompanhava, foi responsável pelas lesões após casal ter feito uso de drogas ou se foi ataque de gangue

Porto Velho, RO - 
O mistério em torno do rapaz resgatado com o abdômen rasgado na Praia do Ermitão, em Guarapari (ES), na manhã do dia 16, pode ser elucidado por vídeos. O G1 teve acesso a imagens de câmeras de segurança que mostram a vítima e a namorada chegando à praia, no na noite do dia 15 de janeiro, e o jovem sendo retirado do local, já ferido, no dia seguinte.

A análise desse material poderá ser decisiva para explicar o que de fato aconteceu durante a madrugada logo após os dois terem admitido que usaram drogas sintéticas. Uma das hipóteses, ainda não confirmada e negada por familiares, é de que a namorada, alterada pela ação dos entorpecentes, teria causado os ferimentos. Os dois têm 20 anos.

As imagens mostram o casal entre as pedras caminhando para a praia, às 21h01. No outro vídeo, o jovem é retirado em um quadriciclo às 6h. No depoimento prestado pela namorada, ela diz que pediu socorro aos vigilantes do parque por volta das 2h. Ela disse à polícia que os dois não se lembram de nada porque, após o uso das drogas, tiveram um apagão.

Confira as imagens de câmeras de segurança:



Nas imagens, é possível ver o jovem e a namorada caminhando sobre pedras para região mais isolada na Praia do Ermitão, no Espírito Santo. Segundo relato da namorada, os dois "apagaram" após o uso de drogas. O rapaz acordou com um corte profundo na barriga

O advogado das famílias dos jovens disse que eles foram à praia afastada para comemorar uma viagem de estudos que o estudante faria e foram atacados e roubados por terceiros. Por conta das lacerações sofridas, o rapaz teve o intestino exposto, de acordo com um boletim de ocorrência.

Diante do quadro grave, ele foi levado para um hospital particular, onde passou por uma cirurgia e chegou a ficar na UTI, mas a previsão é de que tenha alta nos próximos dias.

O caso ganhou as redes sociais duas semanas depois do acontecido e é um dos assuntos mais comentados desde o domingo (30). Por nota, as famílias disseram que o casal participava de um luau e foi alvo da "ação criminosa e violenta praticada por desconhecidos". "O casal tem recebido todo o atendimento médico-hospitalar necessário e encontra-se em pleno processo de recuperação", conclui a nota, em que as famílias concluem dizendo que confiam nas investigações da polícia.

Uso de droga

No boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar quando o fato ocorreu, já havia a informação de que o casal teria usado drogas. "Ela relatou que os dois utilizaram, pela primeira vez, um quadradinho de papel, mas não soube informar mais detalhes por não se lembrar o que aconteceu após fazer uso da droga", contou o advogado das famílias dos jovens, Lécio Machado.

Quadradinho de papel é uma expressão usada para se referir á droga LSD, por causa de seu formato. O advogado contou que eles acessaram o local por meio das pedras à beira-mar. Eles teriam ouvido música, bebido vinho, entrado no mar e usado a droga.
Ataque

O casal mantém um relacionamento há cerca de um ano. O advogado confirmou a veracidade de uma imagem que circula nas redes social que mostra o estudante falando em um grupo sobre o ataque, em que nega ter havido agressão por parte da namorada.

"É óbvio que todas essas histórias são mentira. O que houve foi uma tentativa de latrocínio. Machucaram a menina que estava comigo e também me feriram muito no rosto e me cortaram o abdômen", diz parte da mensagem.

Fonte: O Globo
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem