Quatro mil cirurgias de cataratas e pterígios serão realizadas em Porto Velho pelo projeto “Enxergar” do Governo de Rondônia



PORTO VELHO, RO - Com investimento de R$ 4 milhões, o Governo de Rondônia lançou nesta segunda-feira (21), a 11ª edição do projeto “Enxergar” em Porto Velho. A ação acontece no Hospital Samar, zona Sul da cidade e visa reduzir a fila de espera por procedimentos oftalmológicos em todo o Estado.

Nesta etapa estão previstas a realização de quatros mil cirurgias entre cataratas e pterígios (carne crescida nos olhos) na Capital.

Em 2021, o projeto, coordenado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), ofertou mais de dez mil cirurgias nos municípios de: Porto Velho com quatro mil cirurgias; Jaru com dois mil; Ji-Paraná com mil; Cacoal com dois mil e Rolim de Moura com mil cirurgias.

Esse ano, com mais uma edição, serão no total 14 mil cirurgias realizadas em Rondônia.

A aposentada, Ademilder de Andrade Costa, relatou que aguardava na fila de espera desde 2019 para fazer a cirurgia.

“Quando eu entrei na lista não pude realizar a cirurgia por causa da pandemia. Hoje, com o projeto eu me sinto abençoada, porque estou sendo atendida perto de minha casa e por uma equipe de profissionais muito atenciosos. Estou agradecida por esse projeto que vem ajudando muitas pessoas durante esses anos”, disse agradecida Ademilder.

O morador, Cléber Freita de Melo, de 67 anos que também recebeu o atendimento pelo projeto, destacou a gratidão por poder realizar a cirurgia de catarata. “O projeto é maravilhoso para os idosos como eu. Os profissionais estão de parabéns pelo atendimento e pelo cuidado com cada paciente”.“O paciente deve procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS), para realizar os procedimentos de praxe e receber o encaminhamento para a regulação de consulta e exame oftalmológico. Para o paciente que já está na fila, será necessário atualização da folha cadastral, a fim de que a equipe entre em contato e marque a cirurgia, caso seja preciso. É importante frisar que todos os pacientes passarão por um consulta para verificar a necessidade de cirurgia ou não”, explicou o secretário da Saúde, Fernando Máximo.


Fonte: Governo de Rondônia
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem