Ministro do TCU pedirá prazo extra que pode barrar privatização

Segundo o governo, a oferta de ações da Eletrobras precisa acontecer até maio

Porto Velho, RO
- O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo afirmou no blog que pedirá vista (prazo extra para análise) no processo que avaliza a privatização da Eletrobras. A votação em plenário está marcada para esta quarta-feira (20).

Vital do Rêgo diz que ainda não recebeu o voto do relator do caso, Aroldo Cedraz, e que quer mais tempo para avaliar um dos itens do processo: a precificação da potência. O ministro pedirá os 60 dias adicionais a que tem direito para a análise.

Se Vital do Rêgo usar todo o prazo, na prática, pode impedir que a privatização da Eletrobras seja concretizada até dezembro.

Segundo o governo, a oferta de ações da Eletrobras precisa acontecer até maio. Isso, porque muitos fundos que poderiam participar do negócio têm restrição de capital e não podem, por exigência de seus conselhos, fazer investimentos tão próximos ao período eleitoral.

De acordo com essas fontes, a janela para privatizar a Eletrobras se fecha e o país perde em torno de R$ 100 bilhões em investimentos e recursos.

Questionado sobre essa possibilidade de inviabilizar a negociação, Vital do Rêgo afirma que não concorda com a “pressão” sobre o TCU. Segundo o ministro, o tribunal precisa de tempo para dar aval técnico ao negócio.


Fonte: Diário da Amazônia
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem