Topógrafo anda 50km em busca de socorro após acidente com cobra peçonhenta em Vilhena

O topógrafo, Neivo Geremia, está entubado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde se recupera do acidente

Porto Velho, RO -
Um topógrafo, de 60 anos, foi picado por uma serpente identificada como “Jararacuçu” enquanto trabalhava em uma mata em Vilhena (RO). Após o acidente, ocorrido há duas semanas, ele andou cerca de 1,5 km até chegar em um veículo para percorrer mais 50 km até o hospital.

O topógrafo, Neivo Geremia, está entubado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde se recupera do acidente.

A filha da vítima contou que o pai estava trabalhando nas proximidades do Rio Ávila, a cerca de 50 km de Vilhena.

E enquanto trabalhava acabou sendo picado. Então ele aplicou soro antiofídico que carregava. E caminhou cerca de 1,5 km para chegar até a motocicleta. Em seguida ele teve que percorrer cerca de 50 km para chegar até Vilhena.

E a cerca de 4 km da cidade o veneno começou a fazer efeito, o deixando quase cego. Neivo conta que só via vultos e chegou a comentar com familiares: “eu morro de acidente, mas não por veneno de cobra”.

Após chegar em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), recebeu os primeiros socorros e precisou ser entubado. Neivo foi encaminhado para o Hospital Regional, onde os médicos constataram a gravidade da situação e o internaram na UTI. No momento, ele está sedado, inconsciente e se recuperando do acidente.


Fonte: Diário da Amazônia
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem