Licitação para construção da nova rodoviária da capital sai em poucos dias; saiba tudo sobre a obra

 

Essa construção da nova rodoviária é fruto de uma emenda parlamentar de R$ 20 milhões, da deputada federal Mariana Carvalho.

Porto Velho, RO - A rodoviária municipal de Porto Velho existe há mais de 50 anos e durante esse tempo, a estrutura nunca passou por uma reforma de mudança do visual. Pelo local passam diariamente, milhares de pessoas de diferentes lugares do país.

Após muitas reclamações, a Prefeitura da capital deu início e está em fase final do processo de licitação para a construção de uma nova rodoviária.



De acordo com a titular da Secretaria Municipal de Resolução Estratégica de Convênios e Contratos (Semesc), Rosineide Kempim, foi atendida a determinação do prefeito Hildon Chaves, para que a nova rodoviária fosse construída no mesmo local da atual. “Ele pensou na questão do deslocamento da população, nas pessoas que vem de outras cidades, na questão também do acesso e para manter o local conhecido por todos”, explicou.

A secretária destacou que o projeto foi aprovado pelo Ministério da Defesa. “O projeto já teve a aprovação do Convênio Calha Norte. Essa construção da nova rodoviária é fruto de uma emenda parlamentar de R$ 20 milhões, da deputada federal Mariana Carvalho. O restante será de contrapartida própria. O custo será de aproximadamente R$ 44 milhões”, disse.

Obras

Segundo a titular da Semesc, a obra deve ser iniciada no final do primeiro semestre de 2023, com previsão de término para o final de 2024. Serão 8.457,59 metros de área construída, em um terreno de 18.221,48 metros quadrados. “O terreno já está com o documento em ordem, e em nome da Prefeitura. Todas as licenças obrigatórias para a construção da rodoviária já foram obtidas”, afirmou Rosineide Kempim.

O terreno que fica nos fundos da rodoviária, que é cercado por tapumes, será incorporado no projeto.

A titular explica que já foi realizado o levantamento topógrafo do local e sondagens. O estudo em relação ao trânsito na região, também já foi feito. Os projetos de arquitetura, de engenharia e planilha orçamentaria foram concluídos pelas equipes.

Licitação sai em poucos dias

A secretária destaca ainda, que o projeto está apto à licitação. “Estamos apenas aguardando algumas questões administrativas. A estrutura da rodoviária atual, será totalmente demolida para a construção de uma nova”, disse.

Para que a obra seja iniciada, a Prefeitura irá fazer a mudança temporária da rodoviária, assim que finalizar o processo de licitação. “Ela passará a funcionar temporariamente no antigo Terminal de Integração de Porto Velho, no centro da cidade. O local passará por reforma também, para poder funcionar como rodoviária até o fim da obra”, explicou.

Ainda conforme Rosineide Kempim, até o final da semana, a Semesc deve publicar a licitação. “Vai ser publicada pela Semtrans, que fará a gestão dos serviços rodoviários. O edital foi trabalhado por várias mãos, pela Semesc, Secretaria Municipal de Licitação (SML) e Ministério da Defesa, por ser uma obra complexa”, disse.

O secretário adjunto da Semesc, Basílio Oliveira, enfatizou que nas gestões anteriores, nunca houve um alinhamento entre Governo e Prefeitura da capital. “Sempre tiveram ações concorrentes ou contrárias. Pela primeira vez temos um prefeito e um governador em sintonia e quem ganha é a população. Esse projeto mudará até a forma que a população irá olhar Porto Velho, será uma virada de chave, um marco para nossa cidade”, disse.

Projeto

Conforme o engenheiro civil Danilo Giolo, foi utilizado para a elaboração do projeto da nova rodoviária, a metodologia BIM, que consiste na construção virtual da edificação, com o objetivo de obter dados e previsibilidade de problemas durante a obra, mais exatidão na extração de quantitativos e otimização da interoperabilidade das diversas disciplinas de projeto.

O BIM é uma nova tecnologia disponível no mercado, sua aplicação nesse projeto é uma inovação da gestão e dos servidores. O propósito de sua utilização é de otimizar tempo e recursos trazendo para etapa de projetos uma previsibilidade de problemas que ocorrem durante a obra.

Árvores mantidas

Segundo a arquiteta, Luciana Serbino, a Prefeitura vai manter todas as árvores existentes no local e irá plantar outras mudas. A arquiteta disse ainda, que o projeto arquitetônico foi inspirado na nossa região, com referências do pôr do sol na Amazônia, nas cores escolhidas, das incisões na casca de seringueira nos desenhos de piso, das curvas do rio madeira na imponente fachada, da nossa floresta nos acabamentos amadeirados e na praça frontal arborizada. A frente da rodoviária será para a avenida Carlos Gomes.



Ambiente moderno

Na nova rodoviária haverá, 13 plataformas de embarque e desembarque, edifício principal com 2 pavimentos, com área técnico, 3 escadas e 1 elevador, 26 boxes e agencias para empresas, saguão de espera e sala vip, praça de alimentação, 8 lanchonetes, 1 restaurante, 11 lojas, banheiros e sanitários públicos e acessíveis, fraldário, banheiro da família, ambiente de apoio e conforto aos funcionários, área administrativa, estacionamento com 86 vagas de veículos, 18 vagas para motos, 20 vagas para taxis e 20 vagas para mototaxistas, ampla circulação interna de veículos, com faixa de embarque e desembarque e entre outras novidades.
  

O trabalho está sendo realizado pela Semesc, através de técnicos responsáveis pela elaboração dos projetos de arquitetura, engenharia e orçamento, composto por engenheiros civis, engenheiro ambiental, engenheiros eletricistas, engenheiro mecânico, arquitetos, topógrafo, equipe administrativa e jurídica, além de apoios técnicos.

Fonte: Rondôniagora
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem