Ataques a tiros deixa dois mortos e dois feridos em Porto Velho

Todos os crimes ocorreram durante a noite do último domingo

Porto Velho, RO - Duas pessoas morreram e duas ficaram feridas após ataque a tiros em Porto Velho (RO) durante o último domingo (6). Até a publicação desta matéria nenhum suspeito foi preso ou identificado.

Tiago Silva Gomes, conhecido como “Marreta”, de 18 anos, foi morto com ao menos 10 tiros. O crime ocorreu na Rua Marechal Deodoro, ao lado do campo da AFA, no bairro Areal. A maioria dos tiros atingiu a cabeça da vítima.

Segundo testemunhas, Tiago andava pela rua no momento em que foi abordado por três criminosos em um carro de cor vermelha. Os criminosos começaram a atirar contra a vítima, que morreu no local. A Perícia Criminal e rabecão do IML (Instituto Médico Legal) foram acionados para remover o corpo.

Assassinato no residencial Porto Madero III

Um jovem de 20 anos identificado como Adonis Brito Lima foi morto com quatro tiros. Além disso, uma criança de dois anos que estava na proximidade foi atingida por uma bala perdida.

O crime ocorreu no residencial Porto Madero III, na Rua Humaitá, bairro Socialista, na zona Leste da capital. Adonis chegou a ser socorrido para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento), mas não resistiu.

A criança baleada também foi socorrida e não corre risco de morte. Segundo testemunhas, os criminosos estavam encapuzados em um carro modelo Onix de cor prata e fugiram do local.

Adonis tinha passagem pela polícia e chegou a dizer para familiares que havia saído de um grupo criminoso.

Dois feridos por criminosos em um Onix prata

Ainda na noite do último domingo, dois jovens, de 19 e 20 anos, foram atacados a tiros na Rua Jurupoca, no bairro Lagoinha, na zona Leste de Porto Velho. De acordo com a PM (Polícia Militar), os criminosos estavam em um Onix de cor prata.

O Samu foi acionado e socorreu as vítimas A Polícia fez diligências, mas nenhum suspeito foi preso ou identificado. As vítimas foram socorridas ao hospital João Paulo II. A Polícia Civil investiga os casos.

Fonte: Diário da Amazônia

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem